Preparo dos tecidos

Paninho novo? Água nele! A ideia era comprar tecidos para aquele determinado projeto, mas...como toda boa quilteira, sempre trazemos alguns a mais para aquele caminho de mesa, afinal... essas estampas são tão lindinhas... Se isso aconteceu, não se sinta culpada. A compulsão por tecidinhos é quase um pré-requisito para viver nesse mundo encantado – ainda mais se considerarmos que a maioria das lojas vende

Agora é preciso um pouquinho de paciência extra. Nada de sair cortando os tecidos porque eles podem surpreender, e nem sempre as surpresas são muito agradáveis. Da perda de cor (que consequentemente manchará os tecidos vizinhos no trabalho) ao encolhimento, tudo isso deve ser prevenido.

A primeira ação é encher o tanque de água fria (sem sabão ou qualquer outra química) e mergulhar os tecidos, dobradinhos, do jeitinho que vieram da loja. Comece com os tecidos mais escuros e preste atenção para ver se algum deles solta tinta (veja item Como deixar a cor mais firme, mais adiante).

No caso de isso acontecer, devem ser molhados separadamente. Deixe os tecidos mergulhados na água por no mínimo uma hora, para que todas as fibras absorvam o líquido e sejam eliminados quaisquer resíduos de goma.

Antes de estender, pode-se colocar os tecidos, ainda dobrados, na centrífuga da máquina de lavar roupa para tirar o excesso de água. No entanto, desdobre o tecido antes e observe se molhou por igual. Se ainda houver partes secas, volte a mergulhá-lo até a total absorção da água.

Estenda o mais liso possível, aberto, para não ficar com marcas de dobras ou pregas. O seu tecido está quase pronto para o uso. Uma forma de conseguir um tecido bem liso é passá-lo a ferro ainda úmido. “Secar”com o ferro é uma ótima opção, desde que se tome o cuidado de não deixar queimar. Por isso, tenha cuidado.

Não esqueça: tecido que chega em casa vai direto para o tanque! Não arrisque com a sorte, porque patchwork é uma arte de precisão, e o encolhimento de poucos milímetros pode significar a perda de um trabalho inteiro.

Armazenando os tecidos

A prática e o seu estilo é que definirão a melhor maneira de guardar os tecidos. Pessoas que os utilizam constantemente não se preocupam em guardá-los passados, pois geralmente têm à disposição um borrifador com água para alisar os tecidos, enquanto passam a ferro. Tradicionalmente, porém, guardam-se todos dobrados ou enrolados, organizados por cores ou temas (Natal, crianças, flores etc.).

Eles podem ser guardados em gavetas, prateleiras (protegidas do pó, umidade e sol direto) ou mesmo em caixas. Uma boa alternativa são as caixas de papelão conhecidas como “arquivo morto”. Com elas é possível, além de guardar os tecidos enrolados, etiquetar informando o seu conteúdo. Os seus tecidinhos estão prontos para o uso. Agora é desarrumar tudo isso e partir para a execução do seu projeto.

Como deixar a cor mais firme

Quando o tecido soltar tinta, enxágue o máximo possível, até que saia um mínimo de tinta. Dependendo do uso que terá (em uma peça que será lavada constantemente ou em um painel que será lavado esporadicamente), a mistura de um punhado de sal no último enxágue garantirá algumas lavadas, mas o ideal, não havendo possibilidade de substituir esse tecido por outro de cor mais firme, é fazer um tratamento de fixação de cor com produtos específicos para esse fim. Proceda conforme indicado na embalagem do produto.


Dicas


Retalhos são pequenas joias. Não jogue fora.

Tem mais de dois centímetros, é retalho e poderá ser muito valioso um dia. Reserve uma caixa, pote ou saquinho plástico para guardá-los. Isso não é apenas uma questão de economia. A variedade acumulada servirá para a montagem de trabalhos lindos que, sem a disponibilidade desses restinhos, não seriam possíveis.

Charms – é a denominação de retalhos quadrados, cortados com um tamanho determinado (os mais comuns são os de 5”, aproximadamente 12,5 cm). Mas existem charms que vão desde 2 cm até 30 cm. Faça saquinhos com etiquetas identificando os tamanhos e recorte sobras de tecidos em forma de charms. Vá juntando, que em pouco tempo haverá material para a produção de um trabalho lindo.

Não use amaciante na água em que for lavar os tecidos, a não ser que eles não sejam usados para aplicações com entretela colante ou papel termocolante. O uso de produtos químicos como amaciante ou sprays para passar interfere na química utilizada neles e atrapalha a fixação.

Guarde em potes, também, restinhos de termocolante, novos ou usados. Os que já estão com tecidos poderão ser aproveitados em trabalhos que precisem de pedaços pequenos, como aplicações de folhas, flores e outros detalhes.

Camisas, roupas de criança, lençóis e quaisquer tecidos antigos, mesmo usados, podem render peças lindas e com um valor histórico incalculável. Portanto, guarde todas essas peças que ainda têm pedaços em bom estado. A melhor forma de fazer isso e não cair na tentação de jogar fora é desmanchar essas peças e montar pequenos kits de retalhos. Prenda nesses pedaços de tecido, com um alinhavo, um pedaço de papel com sua história.



90 visualizações

Tudo Sobre Patchwork

A Patch&Afins é referência nas escolas e ateliês de patchwork, sendo usada no ensino de diversas técnicas. As matérias, dirigidas a profissionais e principiantes, trazem de maneira clara e objetiva as explicações, sempre acompanhadas de moldes em tamanho natural....

CLIQUE AQUI

PARA CONVERSAR

VIA WHATSAPP

  • Cinza ícone do YouTube
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Copyright © Editora 1.9 Ltda. Todos os direitos reservados. SP - Brasil                 

  • Preto Ícone YouTube
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon