Tire suas dúvidas sobre tecidos

Toda mundo que gosta e faz costura tem uma verdadeira relação de amor com os seus paninhos.


Aprender a escolher, preparar e combiná-los é muito importante. Em linhas gerais, qualquer retalho de tecido é um forte candidato a se transformar em um lindo trabalho. Só que a experiência avisa: use algodão, popeline, tecidos 100% algodão proporcionam vários benefícios: podem ser pré-encolhidos sem perder as características de novos, não deformam e não desfiam muito, são firmes para costurar, além de terem uma grande variedade de estampas e padrões.

Há dois tipos de impressão em tecidos, que os definem como estampados ou de fio tinto. Os estampados são tecidos crus ou naturais que recebem as tintas como se fossem carimbados. É um processo parecido ao de impressão em papéis. Esses têm repetições nas estampas facilmente identificáveis, e a cor, dependendo do fabricante, nem sempre é tão firme. O avesso dos tecidos estampados tem cor única, revelando apenas as sombras do desenho que apresentam no seu direito. Agora temos também a impressão digital.

Já nos tecidos de fio tinto, como o nome diz, utilizam-se fios já coloridos para tramar a estampa. São mais comuns nos xadrezes e listrados, que, aliás, devem ser os preferidos por terem menos distorções na trama – e, assim, facilitarem o trabalho. O lado direito e o avesso são iguais.

Outra noção importante que se deve ter antes de cortar um tecido é o sentido dos fios. Os nacionais geralmente são fabricados com 1,40 m ou 1,50 m de largura. Essa medida corresponde à largura do tecido, cujos fios horizontais são entrelaçados aos verticais, formando a trama. Os fios verticais correspondem à altura do tecido (ao comprar 1 metro, tem-se um tecido de 1,40 m ou 1,50 m de largura por 1 m de altura).

Quaisquer outros cortes, em quaisquer ângulos que não sejam o de 90º, são enviesados. Esses são os utilizados para faixas de acabamento, como o viés por exemplo; pois, como tendem a ficar mais elásticos, acomodam-se mais perfeitamente aos trabalhos, para moldes redondos e cônicos. Os tecidos importados geralmente têm 1,10 m de largura.

Compreendida essa primeira etapa, é hora de escolher os tecidos para compor um trabalho. Definido o modelo que será feito e calculada a quantidade necessária de cada tecido para esse projeto, o ideal é utilizar tecidos de um mesmo tipo (padrão, espessura etc.). As cores e estampas deverão formar um composé agradável aos olhos, mas todas as ousadias são bem-vindas.

É bom lembrar que patchwork exige certa tranquilidade. Ansiedade não contribui em nada para a execução de um projeto. Por isso, vamos ao próximo passo.

Dica: Chegará o momento em que a quantidade de paninhos, apesar de nunca ser suficiente para uma quilteira que se preze, será imensa e ficará fora de nosso controle. Ou porque achamos que já temos de um ou de outro, ou porque esquecemos que já usamos quase tudo, ou porque vimos numa loja ou na revista e achamos que temos... Seja qual for o motivo, não é raro termos de parar um trabalho para correr atrás de um pedacinho que já se foi. Driblar isso é possível. Reserve um caderno ou porta-cartões, a cada tecido novo, corte um pequeno retângulo do tamanho de um cartão de visita e cole nesse caderno. Ao lado dele, anote a quantidade de que dispõe e, a cada uso, atualize essa anotação. Esse caderno será muito útil, também, na hora de comprar novos tecidos, para escolher estampas que combinem, se as cores “batem”, se será preciso comprar mais de algum deles, fora a delícia que é ter uma organização dessas.

Fat Quarters (FQs) – Uma das mais fantásticas invenções para o universo do patchwork, os FQs são jogos de quatro tecidos com estampas diferentes que combinam entre si e permitem a criação de peças pequenas como caminhos de mesa e painéis, por exemplo, sem que se precise comprar metragens inteiras de cada uma delas. Nos tecidos nacionais, são 4 pedaços de 50 cm x 70 cm que, unidos, formariam um corte de 1 metro de tecido (de 1,00 m de altura x 1,40 m de largura). Imagine 1 metro de tecido aberto, divida-o em 4 partes de forma imaginária. Cada um dos pedaços resultantes será um Fat quarter. Nos importados, que têm medidas diferentes das adotadas no Brasil, os tecidos são vendidos em Jardas (1 jarda = 0,914404 m) e polegadas (1” = 2,54 cm), e sua largura equivale a 1,10 m. Portanto, um FQ importado terá as medidas de 18” x 22” (ou aproximadamente 45 cm x 55 cm). Um fat eight (FE), seguindo o mesmo princípio, equivale a oito pedaços de tecido com a metade do tamanho de um FQ, ou seja, terá 9” x 22”, ou 23 cm x 45 cm.

44 visualizações

Tudo Sobre Patchwork

A Patch&Afins é referência nas escolas e ateliês de patchwork, sendo usada no ensino de diversas técnicas. As matérias, dirigidas a profissionais e principiantes, trazem de maneira clara e objetiva as explicações, sempre acompanhadas de moldes em tamanho natural....

CLIQUE AQUI

PARA CONVERSAR

VIA WHATSAPP

  • Cinza ícone do YouTube
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Copyright © Editora 1.9 Ltda. Todos os direitos reservados. SP - Brasil                 

  • Preto Ícone YouTube
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon